Ao longo dos últimos anos participei de provas de mountain bike, outras de corrida de aventura, algumas de corrida de rua...e em 2018 resolvi abrir o meu calendário de corridas, estreando em uma das maratonas mais difíceis do país com seus 42.940m de distância e aproximadamente 1.200m de altimetria acumulada, a Maratona do Vinho.

Nos momentos de cansaço e dor lembrava logo da frase do ciclista norte-americano Lance Armstrong: “A dor é passageira. Desistir dura para sempre!” E seguia...correndo, trotando, caminhando, correndo...

Créditos: Foco Radical – Maratona do Vinho

Na minha estreia em maratona, esse pórtico foi à visão mais desejada durante o percurso, ele é na verdade, a concretização de todo um processo que vai do início da preparação à realização de um sonho.

Algumas semanas após a Maratona do Vinho já estava participando do Campeonato Gaúcho de Corrida em Trilhas & Montanhas – CGCTM. O mesmo foi composto por 7 provas, que ocorreram nas cidades de: Farroupilha, Tupandi, Sério, Arroio do Meio, Nova Roma do Sul, Igrejinha e Rolante; respectivamente.

Ao decorrer deste Campeonato, enfrentei o calor insuportável de Farroupilha e acabei abandonando a prova; na 2ª etapa em Tupandi infelizmente a data coincidiu com o Desafio dos Rochas (Mountain Bike) em Santa Catarina e optei em ir pra lá!

Créditos: Foco Radical – Desafio dos Rochas

Quase não cheguei ao local da prova na cidade de Sério em função da falta de combustível que assolou todo o país; venci um dos meus maiores desafios de 2018 e conclui os 50Km com mais de 2.600m de altimetria nas Trilhas do Morro Gaúcho em Arroio do Meio na 4ª etapa do CGCTM.

Créditos: Clic Run – Trilhas do Morro Gaúcho

Passei por trilhas técnicas, trilhas de velocidade e estradões na encantadora cidade de Nova Roma do Sul; infelizmente me lesionei e não pude estar presente na 6ª etapa em Igrejinha. Em Rolante, (final do CGCTM) enquanto subia e descia as montanhas ou percorria as trilhas, lembrava dos últimos meses, do quanto foi árduo conciliar o trabalho, faculdade...casa e muitos treinos. A cabeça parecia uma locadora de vídeos, a cada trilha um filme diferente, isso quando não rodava uns dois ou três filmes ao mesmo tempo.

Ao final destas grandes etapas e desafios ao longo de 2018, me sagrei Campeã do Campeonato Gaúcho de Corrida em Trilhas & Montanhas – Distância Longa (Categoria 23-27 anos), dividindo o pódio com as atletas Kátia Korthuis e Fabrícia Barnart.

Créditos: Eduardo Farina

Quando comecei a correr lá no finalzinho de 2015, sempre achei fascinantes as longas distâncias. Na época, achava que o máximo que eu conseguiria chegar era uma meia maratona. Bobinha eu... Muito além de um título essas conquistas de 2018 significam para mim; suor, esforço, sacrifício, dor, renúncias, dedicação, comprometimento, amor e paixão - são alguns de seus sinônimos. Mas não estive sozinha nesta recente trajetória de corredora. Desde muito antes do Campeonato, tive ao meu lado grandes apoiadores, como a CURTLO BR. Que sempre me incentivaram a ser exatamente quem eu sou, fazer o que me faz feliz e não ter medo de sonhar.