Sempre tive um problema em me dedicar a um esporte especificamente, minha grande paixão sempre foi o montanhismo, mas todo esporte que envolva estar em contato com a natureza muito me agrada, isso faz com que de tempos em tempos eu fique migrando de um esporte para outro. Mas acabo sempre em um ciclo de escalada, trekking, moutain-bike e corrida de montanha.

Em 2018, não foi muito diferente. Acabei me dedicando mais à corrida de montanha e, vez ou outra, dava meus passeios de bike ou uma escalada em Itatiaia, Pedra do Baú e etc.

A frente de coordenação da Câmara Temática de Escalada e Ecoturismo do Parque Nacional do Itatiaia e em cooperação com diversos voluntários conseguimos abrir dois novos atrativos nas Agulhas Negras, sinalizar o Parque para bicicletas, mutirões de limpeza, workshops de condução segura, e avançamos muito na abertura da Travessia da Borda Leste do PNI esta que será sem dúvida uma das travessias mais bonitas do Brasil, infelizmente por motivos de segurança e ordenamento, ainda não posso divulgar mais detalhes e nem fotos, mas espero que ano que vem eu consiga contar melhor essa aventura que é abrir uma travessia praticamente do zero.

Em 2018 tive a oportunidade de voltar a diversas Unidades de Conservação que adoro e possuem uma energia incrível e paisagens de tirar o folego: Ilha Grande, Ilha do Cardoso, PETAR, Saco do Mamanguá e Ibitipoca. Fora as dezenas de vezes que fui no quintal de casa, Itatiaia.

Como mencionei, em 2017 me dediquei um pouco mais a corrida de montanha, e no segundo semestre consegui dois bons resultados, um primeiro lugar da categoria nos 10km. Logo no final de semana seguinte foi minha estreia nos 21km, sem dúvida o frio na barriga foi grande e escolhi o circuito Evolution para essa estreia. Prova duríssima com mais de 1500m de ganho e terreno extremamente técnico, principalmente pela chuva que caiu nos dias anteriores. Isso tudo fez o tempo de duração ser longo e após 4h15m de prova ainda consegui arrancar um segundo lugar da categoria.

Meu ano terminou da melhor forma possível, a convite da Grade6 fui para o Aconcágua como guia auxiliar. Meus últimos 4 dias de 2018 foram caminhando cercado de montanhas com mais de 5 mil metros de altitude e passando a virada de ano em Plaza Argentina a 4200m de altitude. Como foi o restante dessa viagem? Ah, isso fica para 2019 né.